quinta-feira, 24 de junho de 2010

É ruim mesmo ou foi só um dia ruim?





Ano passado, o britânico e polêmico jornal The Times publicou um artigo baseado no livro The Road Less Travelled, de Bill Bryson, afirmando que alguns destinos turísticos mundiais não mereciam a fama que têm. O jornal listou cinco famosas atrações turísticas, que segundo o mesmo, são os destinos mais superestimados do mundo, e explica o porquê.

Stonehenge - Inglaterra


Stonehenge, na Inglaterra é um círculo de pedras que remonta à Idade do Bronze e que (diz a fama) espanta o visitante. Cenário de rituais pagãos vinculados com os solstícios de verão e do inverno, o sítio povoa a imaginação mística de muitos.

Mas, diz o autor do livro, na visita não se pode tocar as pedras nem caminhar entre as construções. Ou seja: paga-se apenas para olhar o monumento, sem proximidade, sem abrigo contra o tempo duro que costuma castigar a região, sem museu. Uma alternativa proposta: o menos famoso (e bem mais acessível) círculo de pedras de Amesbury, a oeste de Londres (1h30 de viagem).

Petra - Jordânia


Entre o vale do Mar Morto ao Golfo de Aqaba está o enclave arqueológico da cidade de Petra. As construções remontam ao século III a.C., construídas pelos nabateus. Quem visita Petra, diz a fama, encontrará, num vale escondido, um sítio histórico único e impressionante: tumbas, templos, depósitos e casas talhadas na pedra vermelha do local.

Mas a realidade é menos charmosa. O sítio é passo obrigado dos visitantes do Oriente Médio, e com isso virou um dos points mais turísticos da região, com o resultado de um vilarejo que ameaça ser maior do que a própria cidade antiga. Muito mais ricos e com um ambiente menos tumultuado, há os monumentos de Lalibela, na Etiópia, também talhados na pedra. O autor afirma que a beleza artística supera longamente a de Petra.

O Coliseu - Roma


 Cole Porter cunhou a frase: "You're the top! You're the Colosseum" ("Você é o máximo! Você é o Coliseu"). Cenário de grandes filmes épicos (Gladiador, por exemplo), o Coliseu ocupa um lugar especial no imaginário dos turistas do mundo inteiro. Mesmo sendo uma ruína no meio de uma cidade populosa, é capaz de tirar o fôlego pelas suas dimensões magníficas e pela história que ecoa nas suas paredes de pedra - ao longo do tempo, serviu de tudo: como fortaleza, moradia, e até mesmo templo cristão. No entanto, aponta o Times, as visitas são breves, e as filas aglomeradas e longas, e de quebra são frequentes os casos em que o turista acaba com a sua carteira furtada.

Do outro lado do Mar Adriático, na Croácia, está a arena de Pula, bem mais preservada e sem barulho de turistas e de carros.

Machu Picchu - Peru


Pouco é o que se sabe sobre Machu Picchu, a cidade encravada no alto dos Andes e que a selva preservara do conquistador espanhol quando houve a caída do império Inca, o Tahuantisuyu. Mas a fama que leva o lugar fala de espiritualidade e de construções grandiosas, da perfeição do trabalho na pedra e dos mistérios de um provável santuário, talvez observatório astronômico.

A realidade, para o autor do livro, é que o turismo acabou com a mágica, e que a chegada é cansativa e decepcionante. Ele propõe, para quem quer conhecer ruínas incaicas bem preservadas, ir até a Bolívia, na Ilha do Sol, ponto de nascimento desta cultura.

Angkor - Camboja


O sítio arqueológico de Angkor é um dos maiores tesouros budistas já conhecidos do sudeste asiático, e dos que são capazes de deixar o mais viajado de queixo caído. É uma dúzia de templos espetaculares, próximos à cidade de Siem Reap, e Angkor Wat é o melhor conservado. Isso diz a lenda. Mas as muitas filas são intermináveis, e o excesso de turistas e vendedores faz impossível apreciar a dimensão mística do local. Borobudur, na Indonésia, é uma das maravilhas da antiguidade budista que ainda não foi descoberta (nem estragada) pelo turismo de massa.

Será que é tão ruim assim? Será uma questão de humor, ou foi só um dia ruim?

Au Revoir!!
  
*todas as fotos foram retiradas da internet*
Se você tem alguma dica ou comentário sobre o post de hoje ou alguma outra sugestão, não deixe de registrar! 
Escreva um comentário, ou mande um e-mail para A Pequena Viajante!

2 comentários:

Paulo Roberto [Em Paralello] disse...

Esse cara deve ser no mínimo maluco. No caso dele além da loucura eu acrescentaria um pingo de inveja, pois ele não deve ter dinheiro para visitar esses lugares e fala um monte de besteira.

Tem doido para tudo mesmo! =D

Yoyo disse...

O auto que me desculpe mas faço coro com o amigo aí acima: "esse cara deve ser louco",hehehehe
Todos esses lugares são, para mim, destinos obrigatórios para qualquer viajante que se preze.
Bjos