segunda-feira, 31 de maio de 2010

Ajudando a conservar. Conservando para existir.



Todos sabem que o turismo em massa é capaz de degradar qualquer ambiente natural, se não for contido e bem regularizado.

Seguindo este pensamento, em várias partes do mundo enfim, estão acontecendo movimentos e criação de parques na intenção de proteger esses ambientes e certo reforço para aqueles que já eram parques e ainda assim, precisam de maior proteção.




 *Praia do Espelho, BA*
Em outubro de 2009, foi divulgada a intenção de transformar a Praia do Espelho, na Bahia, em parque municipal, para que possa ser protegida do excesso de turistas. Nesta área se torna proibidos a pesca, passagem de cavalos e cachorros e o acesso de veículos serão controlados. Para quem não conhece a Praia do Espelho, esta é uma das consideradas mais belas do nosso país e eu pude confirmar esse titulo. Um belo local para passar o dia sossegado, totalmente despreocupado. O acesso é feito somente por veículos e as agencias de Porto Seguro seguem com vans de turistas para lá.


  *Porto de Galinhas, PE*


Também no ano passado, foi divulgado um alerta dos biólogos de Pernambuco, a respeito do risco em que os corais de Porto de Galinhas sofrem com o excesso de turistas na área. Os especialistas explicam que só a ação de pisar nos corais, toda uma colônia deles pode ser destruída. O responsável pelo IBAMA afirmou que sem uma lei especifica para proteger os arrecifes, nada pode ser feito em nível de controle de acesso de pessoas. Um mês após essa publicação, parece que a coisa andou. Antes, somente 30% da área era visitada, após, somente 7%. E todo o passeio é feito por jangadeiros treinados e devidamente “encoletados” para ajudar na identificação. Além disso, foram instaladas bóias para demarcar as áreas de mergulho, as áreas em que os turistas não podem acessar e para as embarcações.

  *Parque Marinho Recife de Fora, BA*

No Parque Marinho de Recife de Fora, em Porto Seguro, talvez dê o melhor exemplo. Uma pequena porcentagem do parque é visitado, por barcos cadastrados. Cada barco tem numero máximo de turistas, a quantidade de barco é limitada e o passeio não ultrapassa 1h de duração. Assim todos podem curtir um pouquinho, sem problemas. Nenhum material é levada à água.

  *Galés de Maragogi, AL*

Em Galés de Maragogi, não achei muito reforço. Claro que o ambiente é diferente; lá você pisa na areia. Mas muitos barcos cheios visitando na mesma hora. A única exigência é a de não levar comida, latas, plásticos, nada pode ser deixado no bar. Os barcos têm bar e oferecem lanche, mas confiscam tudo antes dos turistas descerem para água.

  *Grande Barreira de Corais, Austrália*


Outro exemplo de conservação, e talvez o maior deles, foi a proibição da pesca em parte da Grande Barreira de Corais da Austrália em 2004. No inicio deste ano foi divulgado o relatório de um estudo realizado na área, e o resultado foi que nas partes protegidas houve um desdobramento de peixes. Até a população de tubarões aumentou em 100% nestas áreas de conservação. Ainda assim, a Grande Barreira corre grande risco por causa da mudança climática. Os biólogos explicam que o aumento da temperatura e da acidez da água do mar prejudica a vida dos corais e neles. Mas pelo menos lá está sendo feito algo, não é?


 
E na sua cidade, tem algum planejamento de conservação?



Au Revoir!


2 comentários:

Sissi | www.commode.com.br disse...

Como viagem nunca é demais, né??

Em pleno frio e chuva da primavera parisiense, vejo essas fotos e morro de vontade de ir pra Pernambuco. Rs...

Bjocas.

Alê Serles disse...

É difícil aliar preservação ao turismo, mas não impossível. Já que ficamos vislumbrados com as belezas que a natureza nos proporciona, com um pouco mais de educação conseguiremos.